Tags

, , , , , ,

Estes são os doze ocultistas mais influentes do iluminismo e da modernidade. São responsáveis pela reformulação do paganismo, banido durante a idade medieval, para os moldes da sociedade moderna, ou seja, são os responsáveis pela existência das principais vertentes neopagãs e movimentos da nova era que vemos hoje em dia.
É fundamental conhecer ao menos um pouco sobre cada um deles. Por isso estamos apresentando aqui um resumo, compilando as informações mais importantes de cada um deles.
Observe como a história de cada um deles se entrelaça. 
Eliphas Levi
Alphonse Louis Constant (1810-1875) foi um grande Iniciado da Alta Magia. Mais conhecido como Eliphas Levi, chegou a ser o chefe supremo dos Adeptos e Magos na Europa, em 1856. Líder do Grande Domo da Europa, ao qual pertenceram o dr. Paschal Beverly Randolph, Jules du Potet e o lorde Bulwer-Lytton (este último, autor de importantíssimas obras de ocultismo, como Zanoni e Vril a Raça Futura).
Eliphas Levi é considerado, no mundo da magia branca, como um dos precursores do renascimento do atual interesse por todos os temas fantásticos. Foi abade da Igreja Católica, a qual a abandonou para dedicar-se de cheio aos estudos do Ocultismo, da Magia e da Rosa-cruz. Eliphas Levi foi o autor de numerosos livros Arcanos, considerados peças mestras do Ocultismo. Entre seus livros mais conhecidos encontram-se o Dogma e Ritual de Alta Magia, uma obra-mestra clássica da Magia, da Alquimia e do Ocultismo Vitoriano Europeu, e O Grande Arcano, onde leem-se nas entrelinhas que este grande mestre maçom conhecia profundamente a magia sexual e outras práticas profundas.
VM Samael Aun Weor conhecia muito profundamente as obras deste grande mestre da Magia.
Ao interpretar os pentagramas, formulou pela primeira vez a diferença entre o simbolismo humano-material e o divino-espiritual. Também aportou estudos sobre os 22 arcanos maiores do tarô associando-os às letras do alfabeto hebraico e a seus aspectos divinos. Além das obras já citadas, Lévi deixou outras obras de grande importância para o esoterismo e o ocultismo, tais como “Historia da magia”, “A magia transcendental”, “A chave dos mistérios”, entre outras. Suas obras influenciaram outros grandes ocultistas como Aleister Crowley, quem proclamou ser a reencarnação de Lévi. O VM Samael Aun Weor conhecia muito profundamente as obras deste grande mestre da Magia.
Eliphas Lévi foi cabalista, rosa-cruz e maçom, foi sem dúvida um dos ocultistas mais importantes do século XIX. Lévi faleceu em 1875 com a idade de 65 anos, não sem antes de deixar um importante legado para a ascensão do ocultismo na modernidade.
Allan Kardec
Hippolyte Léon Denizard Rivail (Lyon, 3 de outubro de 1804 — Paris, 31 de março de 1869) foi educador, escritor e tradutor francês. Sob o pseudônimo de Allan Kardec, notabilizou-se como o codificador do espiritismo (neologismo por ele criado), também denominado de Doutrina Espírita.
O pseudônimo “Allan Kardec”, segundo biografias, foi adotado pelo Prof. Rivail a fim de diferenciar a Codificação Espírita dos seus trabalhos pedagógicos anteriores. Segundo algumas fontes, o pseudônimo foi escolhido pois um espírito revelou-lhe que haviam vivido juntos entre os druidas, na Gália, e que então o Codificador se chamava “Allan Kardec”.
No 4º Congresso Mundial em Paris (2004), o médium brasileiro Divaldo Pereira Franco psicografou uma mensagem atribuída ao espírito de León Denis em francês (invertida) declarando que Allan Kardec fora a reencarnação de Jan Hus, um reformador religioso do século XV. Esta informação já foi dada em diversas fontes diferentes, o que está de acordo com o Controle Universal do Ensino dos Espíritos, que Kardec definiu da seguinte forma: “uma só garantia séria existe para o ensino dos Espíritos – a concordância que haja entre as revelações que eles façam espontaneamente, servindo-se de grande número de médiuns estranhos uns aos outros e em vários lugares”.
Helena Blavatsky
Helena Petrovna Hahn nasceu prematuramente à meia-noite de 30 para 31 de julho (12 de agosto pelo calendário russo) de 1831, em Ekaterinoslav, na província do mesmo nome. Mais conhecida como Helena Blavatsky ou Madame Blavatsky, foi uma prolífica escritora, filósofa e teóloga da Rússia, responsável pela sistematização da moderna Teosofia e co-fundadora da Sociedade Teosófica.
Personalidade complexa, dinâmica e independente, desde pequena Elena Blavatskaya mostrou possuir um caráter forte e dons psíquicos incomuns, e logo em torno dela se formou um folclore doméstico. Imediatamente após um casamento frustrado, deixou o esposo e partiu em um longo período de viagens por todo o mundo em busca de conhecimento filosófico, espiritual e esotérico, e nesse intervalo alegou ter passado por inúmeras experiências fantásticas, entrado em contato com vários mestres de sabedoria ou mahatmas e deles recebido na condição de discípula um treinamento especial para desenvolver seus poderes paranormais de forma controlada, a fim de que pudesse servir-lhes de instrumento para a instrução do mundo ocidental.
Em outubro de 1874 Blavatsky conheceu o Coronel Henry Steel Olcott numa sessão espírita que se realizava na fazenda Eddy, no estado de Vermont, e se tornaram amigos. Ao contrário dos seus primeiros anos, que são reconstituídos na maior parte das vezes apenas por seus próprios relatos, desta parte de sua vida em diante existe muita documentação sobre suas atividades. De início eles se envolveram ativamente com o Espiritismo, que nesta época era considerado por Blavatsky do maior interesse, participaram de várias sessões de médiuns famosos na época e ela mesma produziu vários fenômenos. Ambos defenderam publicamente os médiuns e Blavatsky dizia-se acompanhada frequentemente por uma entidade invisível a quem chamou de John King, a quem atribuía a autoria de inúmeros fenômenos paranormais que lhe ocorreram, e era para ela uma companhia confortadora
Depois de mais algumas tentativas com o Espiritismo, Blavatsky começou a mudar seu foco de interesse, e por uma sugestão de dois mestres, membros de uma misteriosa Fraternidade de Luxor, Blavatsky fundou uma sociedade em maio de 1875 que recebeu o nome de Miracle Club (Clube dos Milagres), a fim de informar o público sobre o mundo oculto a partir de um nível superior de inspiração, os mestres vivos de sabedoria, e não as entidades desencarnadas comuns do plano astral, mas o clube logo fracassou. Escreveu também alguns artigos para o jornal Spiritual Scientist sobre uma variedade de assuntos esotéricos, como a filosofia Hermética, Cabala, Magia, Alquimia e Rosacrucianismo, e neles pela primeira vez tornou pública a existência de uma fraternidade oculta de Adeptos ou Mahatmas.
Numa de suas cartas para um amigo russo, Blavatski expôs o projeto que viria a ser a sociedade teosófica:
“Olcott está agora organizando a Sociedade Teosófica em Nova Iorque. Ela será composta de ocultistas e cabalistas eruditos, de filósofos herméticos do século XIX, e de antiquários devotados e egiptologistas em geral. Queremos fazer uma comparação experimental entre o Espiritismo e a Magia dos antigos seguindo literalmente as instruções dos antigos cabalistas, tanto judeus como egípcios. Ao longo de muitos anos tenho estudado a filosofia Hermética em teoria e prática, e a cada dia me convenço mais de que o Espiritismo em suas manifestações físicas não é nada mais do que a Píton de Paracelso, ou seja, o éter intangível que Reichenbach chama de Od. As pitonisas dos antigos costumavam magnetizar a si mesmas – leia Plutarco e seu relato sobre as correntes oraculares, leia Cornelius Agrippa, a Magia Adamica de Eugenius Philalethes, e outros. Você vai ver sempre melhor, e poderá se comunicar com os espíritos por este meio – auto-magnetismo”.
Sua teoria era uma versão ampliada e enriquecida do Espiritismo, mas com um estudo aprofundado das obras de Eliphas Levi e outras fontes que empreendeu então, passou a considerar os fenômenos mediúnicos como manifestações de cascas astrais (restos vivificados dos mortos), e não de espíritos verdadeiros. Sua opinião se tornou pública e ela passou a ser asperamente criticada pelos espíritas. Continuou suas pesquisas e em setembro de 1877 Blavatsky publicou sua primeira obra importante, Ísis Sem Véu, uma grande defesa das religiões antigas, onde abordou a História, o desenvolvimento das ciências ocultas, a natureza e origem da Magia, as raízes do Cristianismo, e, segundo a perspectiva da autora, os erros da teologia cristã e as falácias da Ciência ortodoxa (só podia mesmo). A escrita desta obra foi realizada em circunstâncias peculiares. Segundo a descrição de Olcott, Blavatsky nesse período experimentou “uma maravilhosa mudança psicofisiológica”, e ela passou a ter seu corpo ocupado por diversos personagens de elevada erudição, que lhe ditavam partes do texto e lhe forneciam referências ou citações de obras que ela jamais havia lido pessoalmente, e eram ou desconhecidas dos ocidentais ou raras, de difícil acesso. À medida que trabalhava no manuscrito, se percebiam diversas caligrafias diferentes, que ela atribuía à influência de diversos mestres trabalhando através dela.
Rudolf Steiner
Rudolf Steiner (Kraljevec, fronteira austro-húngara, 27 de Fevereiro de 1861 — Dornach, Suíça, 30 de Março de 1925) foi filósofo, educador, artista e esoterista. Foi fundador da Antroposofia, da Pedagogia Waldorf, da agricultura biodinâmica, da medicina antroposófica e da Euritimia, está última criada em conjunto com a colaboração de sua esposa, Marie Steiner-von Sivers. Seus interesses eram variados: além do ocultismo, se interessou por agricultura, arquitetura, arte, drama, literatura, matemática, medicina, filosofia, ciência e religião.
Steiner, nascido austríaco, era a cabeça da sociedade alemã de Teosofia desde 1902 até 1912, quando se afastou e deu forma à sua sociedade de Antroposofia.
Oferecendo alternativas além das condições materiais de soluções de todos os problemas dos quais tratou, Steiner obteve reconhecimento mundial. Em todos os continentes surgiram centros de atividades antroposóficas como desdobramentos práticos da Ciência Espiritual por ele desenvolvida.
Pode-se resumir a Antroposofia de Steiner como um modo de alcance de um conhecimento supra-sensível da realidade do mundo e do destino humano. Mas, o conteúdo desse resumo é complexo e remete a um estudo de extremas profundidade e disciplina, aliadas a um método de exercícios metódicos precisos, com o intuito de revelar no homem o divino que neste reside adormecido. A Antroposofia, o corpo de conceitos derivados da Ciência Espiritual, coloca o Antrophós (Homem) como participante efetivo do mundo espiritual através de seus corpos superiores, tornando assim evidente no mesmo o conceito do Theós, (Deus).
A Ciência Espiritual é o meio de experiência consciente direta com o mundo espiritual, não se tratando, portanto, de uma forma de misticismo. É denominada ciência pois seus resultados podem ser verificados por qualquer um que se dispuser a se preparar neste sentido por meio do trabalho interior. Trata-se, por isso, de um conhecimento exato possível de ser acessado pelo pensar, desde que ele seja desenvolvido para tal pelo trabalho diário (exercício de concentração, revisão da memória, ação pura, percepção pura, etc).
Só quando Steiner atingia os quarenta e o século 19 estava prestes a terminar que se tornou profundamente interessado no oculto. Steiner tinha interesses na agricultura, na arquitetura, na arte, na quimica, no teatro, na literatura, na matemática, na medicina, na filosofia, na física e na religião, entre outros assuntos. A sua dissertação de doutoramento na Universidade de Rostock era sobre a teoria de Fichte sobre o conhecimento. Era autor de muitos livros, muitos com títulos como “A Filosofia da Actividade Espiritual” (1894), “Ciência Oculta: Um Esboço” (1913), “Investigações em Ocultismo” (1920) e “Como Conhecer Mundos Superiores”.          
Adam Weishaupt
Adam Weishaupt (Ingolstadt, 6 de fevereiro de 1748 — Gota, 18 de novembro de 1830), professor de Direito Canônico na Universidade de Ingolstadt, famoso por fundar a “Ordem dos Perfeitos” mais conhecida como Illuminati. Ensinava que existia uma iluminação racional, fora e acima da fé, acessível a qualquer pessoa, e poderia levar a uma maior perfeição. Decidido a fundar sua própria ordem, em 1 de maio de 1776, Weishaupt a nomeou a “Ordem dos Perfectibilistas” adotando o codinome de “Irmão Spartacus”, alegando ser um libertador da consciência humana, arrebatando o homem de dogmas e religiões que os escravizavam. Embora a Ordem não fosse igualitária ou democrática, sua missão era a abolição de todos os governos monárquicos e religiões de Estado na Europa e suas colônias.
Albert Pike
Albert Pike (29 de dezembro de 1809 a 2 de abril de 1891) foi um advogado , oficial confederado, escritor e maçom . Pike é o único confederado oficial militar ou figura a ser homenageado com uma estátua ao ar livre em Washington, DC.
Albert Pike foi muitas vezes apontado como influente no início Ku Klux Klan , sendo nomeado em 1905 como “o principal funcionário judicial” da Klan por um historiador simpático do Klan cedo, Walter Fleming.
Ele entrou para a Ordem Independente da Odd Fellows , em 1840, teve então nesse ínterim se juntou a uma loja maçônica e tornar-se extremamente ativo nos assuntos da organização, sendo eleito Grande Comandante Soberano do Rito Escocês da Jurisdição do Sul, em 1859. Ele permaneceu Grande Comandante Soberano para o resto de sua vida (de um total de 32 anos), dedicando uma grande quantidade de seu tempo para desenvolver os rituais da ordem. Notavelmente, ele publicou um livro chamado Morais e Dogma de Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria em 1871, de que havia várias edições subsequentes. Durante seu mandato, teve uma visão global do que a Maçonaria poderia alcançar, e usou seu imenso intelecto para cumprir essa visão. Consequentemente, ele foi considerado o maior líder maçom do seu tempo e, talvez, o maior de toda a história.
Pike é considerado o maior líder da Maçonaria de todos os tempos, pois:
Era reconhecidamente um gênio;
Falava 16 idiomas fluentemente;
Formou-se pela Universidade de Harvard;
Alcançou a patente de General-de-Brigada do Exército Confederado na Guerra Civil;
Conhecia perfeitamente o sistema ocultista judaico, a Cabala, o sistema fundamental da Nova Ordem Mundial.
Aleister Crowley
Aleister Crowley,ou Edward Alexander Crowley nascido no dia (12 de Outubro de 1875 -1 de Dezembro de 1947), foi um membro da Ordem Hermética da Aurora Dourada e influente ocultista britânico, responsável pela fundação da doutrina (ou filosofia; dependendo do ponto de vista) Thelema. Ele foi o co-fundador da A∴A∴ e eventualmente um líder da O.T.O.. Ele é conhecido hoje em dia por seus escritos sobre magia, especialmente o Livro da Lei, o texto sagrado e central da Thelema, apesar de ter escrito sobre outros assuntos esotéricos como magia cerimonial e a cabala.
Crowley também era mago, hedonista, usuário recreacional de drogas, e crítico social. Em muita de suas façanhas ele “iria contra os valores morais e religiosos do seu tempo”, defendendo o libertarianismo baseado em sua regra de “Faz o que tu queres”. Por causa disso, ele ganhou larga notoriedade em sua vida, e foi declarado pela imprensa do tempo como “O homem mais perverso do mundo.” Além de suas atividades esotéricas, ele era também um premiado jogador de xadrez, um alpinista, poeta e dramaturgo.
Em 2002, uma enquete da BBC descrevia Crowley como sendo o septuagésimo terceiro maior britânico de todos os tempos, por influenciar e ser referenciado por numerosos escritores, músicos e cineastas, incluindo Jimmy Page, Alan Moore, Bruce Dickinson, Ozzy Osbourne, Raul Seixas, Marilyn Manson e Kenneth Anger. Ele também foi citado como influência principal de muitos grupos esotéricos e de individuais na posterioridade, incluindo figuras como Kenneth Grant e Gerald Gardner.
Gerald Gardner
Gerald Brosseau Gardner (13 de junho de 1884 – 12 de fevereiro de 1964) foi um funcionário público britânico, antropólogo amador, escritor, ocultista e Bruxo Tradicionalista que publicou alguns dos textos de referência sobre a Wicca, a Religião da Bruxaria Pagã, da qual foi grande divulgador.
Gardner afirmava ter sido iniciado em 1939 numa tradição de bruxaria religiosa que ele acreditava ser uma continuação do Paganismo Europeu. Doreen Valiente mais tarde identificou aquela que iniciou Gardner como sendo Dorothy Clutterbuck no livro A Witches’ Bible, escrito por Janet e Stewart Farrar em 2002. Esta identificação foi baseada em referências que Valiente se lembrava de Gardner fazer a uma mulher a quem ele chamava de “Old Dorothy”. Ronald Hutton diz, no entanto, no livro Triumph of the Moon, que a Tradição Gardneriana era largamente inspirada em membros da Rosicrucian Order Crotona Fellowship e especialmente por uma mulher conhecida pelo nome mágico de “Dafo”. O Dr. Leo Ruickbie, no livro Witchcraft Out of the Shadows (2004), analisou as evidências documentais e concluiu que Aleister Crowley teve um papel crucial ao inspirar Gardner a criar uma nova religião pagã.
Ruickbie, Hutton e outros também discutem a hipótese de muito do que foi publicado sobre a Gardnerian Wicca, como a prática de Gardner se tornou conhecida, ter sido escrito por Doreen Valiente e Aleister Crowley. O que se sabe é que ele fez a Bruxaria Wicca (principal caminho Neo-Pagão da atualidade) ser reconhecida como uma legítima Religião , e tendo feito apenas algumas atualizações e adaptações na “Antiga Religião” ao mundo moderno para isto.
Lafayette Ronald Hubbard
Lafayette Ronald Hubbard (Tilden, 13 de março de 1911 – Creston, 24 de janeiro de 1986), mais conhecido como L. Ron Hubbard, ou ainda LRH, foi um escritor pulp norte-americano e fundador da Igreja da Cientologia. Depois de estabelecer uma carreira como autor, mais famoso por suas histórias de ficção científica e fantasia, ele desenvolveu um sistema de auto-ajuda chamado Dianética, que foi publicado pela primeira vez em maio de 1950. Hubbard subsequentemente desenvolveu suas ideias em uma ampla gama de doutrinas e rituais que seriam parte de um novo movimento religioso que ele chamou de Cientologia. Suas obras se tornaram textos-guias para a Igreja da Cientologia e para várias organizações afiliadas que abordam temas diversos como negócios, administração, alfabetismo e reabilitação.
Em agosto de 1945 Hubbard se mudou para a Pasadena mansão de John “Jack” Whiteside Parsons. Um líder de propulsão do foguete pesquisador do Instituto de Tecnologia da Califórnia e um dos fundadores do Jet Propulsion Laboratory, Parsons levou uma vida dupla como um ávido ocultista e Thelemita, seguidor do Inglês cerimonial mágico Aleister Crowley e líder de uma loja de Crowley ordem mágica, Ordo Templi Orientis (OTO). Ele deixou quartos da casa apenas para os inquilinos que ele especificados devem ser “os ateus e os de uma disposição Bohemian”.
Hubbard fez amizade com Parsons e logo tornou-se envolvido sexualmente com a namorada Parsons de 21 anos de idade, Sara “Betty” Northrup . Apesar desta Parsons foi muito impressionado com Hubbard e relatou a Crowley:
[Hubbard] é um cavalheiro, ele tem o cabelo vermelho, olhos verdes, é honesto e inteligente, e nos tornamos grandes amigos. Ele mudou comigo cerca de dois meses atrás, e apesar de Betty e eu ainda somos amigável, ela transferiu sua afeição sexual para Ron. Embora ele não tem treinamento formal em Magia, ele tem uma quantidade extraordinária de experiência e compreensão no campo. De algumas de suas experiências deduzi que ele está em contato direto com alguma inteligência superior, possivelmente seu Anjo da Guarda. Ele descreve seu Anjo como uma linda mulher alada com o cabelo vermelho que ele chama de Imperatriz e que guiou sua vida e salvou muitas vezes. Ele é a pessoa mais Thelêmico que eu já conheci e está em completo acordo com nossos próprios princípios.
Anton LaVey
Anton Szandor LaVey[1], nascido Howard Stanton Levey (Chicago, 11 de abril de 1930 — São Francisco, 29 de outubro de 1997), fundou a Igreja de Satã. Segundo sua biografia, tem ascendência georgiana da Alsácia, alemã, e romena. Além de líder da primeira organização abertamente satânica da história, LaVey também trabalhou como músico, fotógrafo forense, ocultista e domador de feras em circos. Foi seguidor das doutrinas Thelemicas de Aleister Crowley.
LaVey começou a apresentar palestras de sexta-feira no ocultismo e rituais. Um membro do círculo sugeriu que ele teve a base de uma nova religião. Em Walpurgisnacht, 30 de abril de 1966, ele ritualisticamente raspou a cabeça, alegadamente “a tradição de antigos carrascos”, declarou o fundador da Igreja de Satanás e proclamou 1966 como “o ano”, “Ano Satanás”, primeiro ano da Idade de Satanás.
Apesar de terem existido muitos grupos “underground” (“submundo”), como o Hell Fire Club (Clube Fogo do Inferno) e o Abbey of Thelema (Mosteiro de Thelema), que praticavam os mesmos princípios de LaVey, o nascimento da Church of Satan, que foi a primeira religião organizada, dedicada às filosofias satânicas, foi pública e publicitada.
No espaço de um ano, a Church of Satan recebeu um reconhecimento a nível mundial, devido à cobertura mundial de muitos dos seus eventos. Muitos dos primeiros artigos sobre as Missas Negras (Black Sabbath) semanais apareciam em várias revistas dedicadas ao leitor masculino, devido à Church of Satan usar constantemente uma mulher nua como altar, nos seus rituais. No entanto, no dia 1 de Fevereiro de 1967 a Church of Satan apanhou o mundo de surpresa quando repórteres de todo o mundo juntaram-se em San Francisco (capital do Satanismo) para cobrirem o casamento satânico de John Raymond, um jornalista político, com Judith Case, a filha de um conhecido advogado de Nova York. Apesar de este não ser o primeiro casamento satânico a ser feito por Anton LaVey, a fama de John e Judith virem de uma boa família despertou interesse suficiente para o casamento se tornar no evento de San Francisco mais famoso de todos os tempos, mais até que a inauguração da ponte Golden Gate. Os artigos seguintes tornaram LaVey no “Papa Negro”.
Samael Aun Weor
Samael Aun Weor, pseudônimo de Victor Manuel Gómez Rodríguez (Girardot, Cundinamarca, 6 de Março de 1917 — Cidade do México, 24 de Dezembro de 1977), foi um escritor colombiano de ocultismo, além de fundador do gnosticismo samaelino.
Escreveu mais de 70 livros. Fundou o Movimento Gnóstico Cristão Universal e a Igreja Gnóstica Cristã Universal, o partido político Poscla, a Associação Gnóstica de Estudos Antropológicos e Culturais (Ageacac) e o Instituto de Caridade Universal (oficialmente instituído como um braço do Movimento Gnóstic.
Samael auto-declarou-se como “Buda Maitreya” e “Kalki Avatar da Era de Aquário”. Segundo ele, sua missão seria divulgar os ensinamentos do neognóstico e as chaves da autorrealização durante a Kali Yuga preparando a humanidade para o advento da futura raça Khorádi, que se seguirá à extinção da atual raça ariana.
Em 1948 lhe foi revelado, no mundo espiritual, qual seria sua missão, conformada em três aspectos:
1)Formar uma nova cultura. 
 
2)Forjar uma nova civilização. 
 
3)Criar o Movimento Gnóstico. 
Em 1950 é editado o primeiro livro do “jovem Mestre Aun Weor”. O trabalho que ele desenvolveu nessa época está bem detalhado no livro A HISTÓRIA DA GNOSE, escrito por seu primeiro discípulo, Julio Medina Vizcaino – Boddhisattwa do V. M. Gargha Kuichines.
Um trabalho tão grande, para a época e o país, não poderia deixar de provocar reações. E a tempestade apareceu em forma de perseguições, calúnias, traições, etc.
Em 1952, Aun Weor é preso sob a acusação de “curandeirismo”. Anos mais tarde, com a família (dois filhos pequenos e a esposa grávida do terceiro), teve que abandonar o país para não ser morto.
Cruzou o Panamá e os países da América Central parte a pé, parte pegando carona, até chegar ao México, onde viveu até desencarnar em 1977.
Em 27 de outubro de 1954, longe de tudo e de todos, outro acontecimento espiritual marca a vida de Aun Weor. No Templo Subterrâneo de Serra Nevada de Santa Marta, Colômbia, acontece o advento do Cristo Samael no Boddhisattwa Aun Weor.
Aun Weor alcançava a Quinta Iniciação Maior e passou a assinar seu nome espiritual de forma completa: SAMAEL AUN WEOR.
Dia 4 de fevereiro de 1962 iniciava-se, oficialmente, a Era de Aquário. Graças a um excelente trabalho desenvolvido por vários de seus discípulos, nessa época os livros do Mestre Samael Aun Weor já estavam sendo distribuídos e circulavam por diversos países da América do Sul. O número de adeptos já somavam vários milhares.
Jack Parsons
John Whiteside Parsons (nascido Marvel Whiteside Parsons ; 2 de outubro de 1914 – 17 de junho de 1952), mais conhecido como Jack Parsons , foi um pesquisador americano de propulsão do foguetes do Instituto de Tecnologia da Califórnia . Ele foi um dos principais fundadores do Laboratório de Propulsão a Jato e do Corp Aerojet.
Ele também era um ocultista e um dos primeiros americanos a ter um grande interesse nos escritos do Inglês Aleister Crowley, autor e fundador da doutrina de Thelema (vontade). Nesta época, foi membro da ordem mágica, conhecida como Ordo Templi Orientis (OTO), da qual Aleister Crowley era membro influente.
Parsons não viu nenhuma contradição entre suas atividades científicas e mágicas. Antes de cada teste de lançamento de foguetes, Parsons cantava o hino que aprendera com Crowley ao deus grego Pan. Em 1942, Parsons foi escolhido por Aleister Crowley para liderar Loja Agapé da OTO na Califórnia.
Em 1946, Parsons e Lafayette Ronald Hubbard participaram juntos de um trabalho de magia cerimonial conhecido como o trabalho Babalon. Em termos simples, o trabalho Babalon era um ritual para invocar a “Mulher Escarlate” da qual mediante ritual sexual poderia se gerar uma criança. O objetivo era produzir o “Moonchild” – um ser que encarna fisicamente uma divindade espírito, mas não habitado por uma alma humana. Este ser é também referido como uma “Criança Mágica” (essencialmente concebido para manifestar uma encarnação individual do feminino arquetípico divino chamado Babalon ). O processo baseia-se fortemente a partir de rituais e magia que Crowley derivou da Ishtar babilônica e a “Grande Prostituta” do bíblico “Livro do Apocalipse”:
Eu vi a Mulher Escarlate sentado na Besta com sete cabeças e dez chifres, coberto com nomes blaspemous… Em sua testa um nome tinha sido escrito, um mistério: Babalon, o Grande, a mãe das meretrizes e das abominações da Terra. Eu vi a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue dos mártires de Jesus.
-Apocalipse 17: 3-6
O que se sabe é que essa criança recém-nascida foi colocada dentro da primeira ogiva nuclear explodida no deserto dos EUA, conhecida como “Jumble”, no qual toda a energia demoníaca da Moonchild foi liberada ao mundo.
Anúncios